01 Outubro
Cerco de Jericó
12 Outubro
Nossa Senhora Aparecida
28 Outubro
Terço de Nossa Senhora Rosa Mística com Madre Hildegardes
Próximos eventos
Santuário de São Sebastião dos Capuchinhos na Tijuca recebe o título de Basílica Menor
19 de julho de 2015
A A A

          O Santuário Arquidiocesano de São Sebastião na Tijuca recebeu neste dia 17/07 o comunicado de que o Santo Padre, o Papa Francisco, concedeu-lhe o título de Basílica Menor, devido a sua importância histórica e devocional na arquidiocese do Rio de Janeiro. Agora a arquidiocese passa, então, a ter cinco Basílicas Menores, quatros delas no nosso Vicariato Norte, incluinda a recém-criada de São Sebastião na Tijuca. Segue a lista das Basílicas Menores do Rio de Janeiro pela ordem de criação:

Basílica de Santa Teresinha do Menino Jesus - Tijuca (20/07/1927)

Basílica de Nossa Senhora de Lourdes - Vila Isabel (23/05/1959)

Basílica do Imaculado Coração de Maria - Méier (09/02/1963)

Basílica da Imaculada Conceição - Botafogo (23/11/2002)

Basílica de São Sebastião - Tijuca (17/07/2015)

 

Sobre as Basílicas Menores

          O mundo católico é pontilhado por centenas de igrejas condecoradas pelos Sumos Pontífices com o honorífico título de basílica menor. Elas são ou catedrais, ou lugares onde são lembrados os mistérios de Nosso Senhor, ou igrejas dedicadas aos títulos da Virgem Maria, ou erguidas para a devoção de algum santo ou em memória de algum acontecimento.

          A Itália é a primeira em números de basílicas, com 541 delas. Na cidade de Roma há a mais importante delas, a Arquibasílica Papal do Santíssimo Salvador e São João Batista e Evangelista de Latrão – a primeira igreja dedicada do mundo. Além dela, contam-se as Basílicas Papais de Santa Maria e de São Paulo fora-dos-muros, e tantas outras – a de São Lourenço Fora-dos-muros é a primeira das menores, pois anteriormente era figurada entre as maiores. Em território italiano italiano ainda elencamos as Basílicas Papais de San Francesco d´Assisi, na cidade de mesmo nome, de Santa Maria degli Angeli in Porziuncula, na cidade homônima. Ainda de igrejas na Europa que gozam de especial atenção dos Papas, encontram-se as Basílicas Pontifícias de San Nicola, em Bari (Itália); do Santuário Pontifício da Santa Casa, em Loreto (Itália); de Santo Antônio, em Pádua (Itália); do Santuário della Madonna del Rosario, em Pompeia (Itália); a Real de San Giacomo degli Spagnoli, Nápoles (Itália); da Santa Croce, em Torre del Greco, Nápoles (Itália); e de San Miguel, em Madri (Espanha). O Vaticano possui a Basílica Papal de São Pedro. Essas Basílicas Papais e Pontifícias, como as Maiores Patriarcais, são igrejas que, mesmo não estando dentro do território vaticano, pertencem ao patrimônio da Igreja, não sendo de posse do Estado italiano.

          Em número, a Itália é seguida imediatamente pela França (168), Polônia (119), Espanha (105), Alemanha (72), Estados Unidos da América (68), Argentina (45). O Brasil conta 56; destas 16 são santuários (uma delas Santuário Nacional), 16 são paróquias, 11 são catedrais, 7 são patrimônios mundiais, 4 são conventuais (anexas a conventos regulares) e 2 abaciais (da Ordem Beneditina); 29 são dedicadas à Virgem Maria.

          A primeira igreja brasileira a ser elevada à dignidade de Basílica foi a de Nossa Senhora Auxiliadora, cidade de Jaboatão dos Guararapes, na jurisdição da Arquidiocese de Olinda e Recife, em 06 junho 1920.
 
          As basílicas maiores e são apenas quatro, uma no Vaticano e três na cidade de Roma. Fora de Roma, o título de Basílica Menor é dado pelo Romano Pontífice em sinal de distinção e reconhecimento a igrejas que se destacam pela veneração dos fiéis, por sua história, por encerrar um corpo ou uma relíquia insígne de algum santo ou por sua decoração artística e arquitetônica. Segundo a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, para tal, a igreja deve ser dedicada a Deus por um ato litúrgico, tem amplas dimensões e dispor de celebrações oficiadas de modo louvável e presbíteros adscristos para a cura dos fiéis que a ela façam peregrinações.Entre os ofícios e deveres a que estão sujeitos as basílicas menores, está a execução de cantos gregorianos em língua latina e a particular diligência com que devem ser celebradas a Festa da Cátedra de Pedro; a Solenidade dos Apóstolos São Pedro e São Paulo e os aniversários de eleição e da entronização do Soberano Pontífice, e ostentar o brasão da Santa Sé sobre a porta principal.A igreja elevada à basílica goza do privilégio de aplicar indulgências sob as disposições conhecidas durante os Anos Jubilares; no dia do aniversário de dedicação da mesma Basílica; no dia litúrgico da solenidade do Titular; na Solenidade dos Apostólos Pedro e Paulo; no dia da concessão e do aniversário do título de Basílica; uma vez por ano, em dia determinado pelo Ordinário local.Ao respectivo Reitor da Basílica ou àquele que a governa, é facultado, pelo exercício de seu poder, usar a murça de seda negra com debruns, casas e botões vermelhos, sobre a veste talar ou o hábito religioso com a sobrepeliz.
 
Fonte: http://diretodasacristia.com/home//?s=basilicas&x=0&y=0
            http://diretodasacristia.com/home/tags/basilica-menor/

 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À BASÍLICA NOSSA SENHORA DE LOURDES - RIO DE JANEIRO